Sem proselitismo

March 2, 2014

 

[Artigo retirado do site http://espacodocapelao.org.br/]

 

Ao pensarmos em capelania escolar, somos confrontados inevitavelmente com a expressão: “sem proselitismo”. Ela invoca a aplicação da legislação relacionada à Educação, mas também intimida os cristãos leigos que algum dia pensaram em se envolver com ações de capelania. Alguns pensam: “Se eu não posso pregar abertamente, por que perder meu tempo?”

 

“Sem proselitismo.” Muitos desavisados encontram nessa expressão uma verdadeira barreira para incluir a escola pública no programa de missões urbanas, mas perdem assim, a oportunidade única de conviver todos os dias com pessoas necessitadas de conforto, de amor, e principalmente do conhecimento de Deus.

 

É preciso lembrar do método de Deus ao enviar Seu Filho ao mundo. Ele se fez carne e “habitou” entre nós (João 1:14). Conviver é a chave. Para isso será preciso tolerar os fracos e pregar com a vida.

Neste ponto é necessário considerar o verdadeiro sentido do que vem a ser pregar o evangelho.

 

Evangelizar, nada tem a ver com a transmissão de um sermão formal, seguida de um veemente apelo à uma conversão a Cristo e união a uma igreja, embora essa seja uma ferramenta legítima de divulgação do evangelho. A verdadeira pregação consiste em transmitir oralmente ou não, verdades de Deus através de uma vida transformada , baseada na Bíblia, e submetida à direção do Espírito Santo, o qual convence o homem do pecado, da justiça e do juízo e revela o plano Salvador de Deus, através de Cristo. Isso significa que em qualquer ambiente onde vivemos o evangelho, estamos de alguma forma semeando uma semente que somente Deus tem poder de fazer germinar e crescer. É o Senhor quem produz o fruto da conversão.

 

Pensemos nas pessoas. Centenas delas estão diariamente no ambiente escolar. Quem são elas? O que estão sentindo na alma? Como estão suas famílias? O que sabem a respeito do verdadeiro Deus? Como podemos ajudar? Nossa ajuda despertará nelas o desejo de conhecer a que Deus servimos?

 

Quando refletimos nessas questões, percebemos que o capelão pode influenciar pessoas, e pode ajudá-las a conhecer o amor de Deus e seu modelo para a vida das pessoas. Assim ele não entra no ambiente escolar para pregar uma religião, nem para doutrinar as pessoas com idéias específicas sobre a igreja certa. Ele está ali para ajudar pessoas que sofrem. Seu objetivo é dar apoio e uma palavra de amor aos que vivem situações de conflito e desorientação. Ele está ali porque acredita que um sermão sem vida dificilmente fará diferença para os pecadores, mas uma vida pode transformar o ser humano sem a necessidade de um sermão. É possível transformar a comunidade sendo uma luz na escola, sem proselitismo, mas com cristianismo.

 

S.R.F

Please reload

Featured Posts

Escola da Vida e a Parceria com Igrejas

March 2, 2015

1/2
Please reload

Recent Posts

March 2, 2014

Please reload

Archive
Please reload

Search By Tags
Please reload

Follow Us
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square